Investigação

Gaseificação

A energia é vital em todas as economias, sendo um input básico em praticamente todos os processos produtivos e uma rubrica importante no consumo final das famílias.

Portugal é um país caracterizado por uma reduzida produção primária de energia, resultante da não existência de petróleo e da não produção de energia nuclear. Importa cerca de 80% da energia que necessita , sendo os combustíveis fosseis os responsáveis por cerca de 85% dessas importações.

Foi no sentido de explorar o potencial energético da maior fonte de combustível solido disponível na Herdade de Aberta Nova, a Biomassa, que procuramos explorar o processo mais vantajoso para a extração e aproveitamento desta energia.

De entre as tecnologias que proporcionam um aproveitamento energético eficiente e de baixo impacte ambiental encontra-se a gaseificação, que consiste num processo de conversão da matéria orgânica por oxidação parcial, num gás combustível. Posteriormente o gás obtido por este processo devera ser encaminhado para uma unidade de tratamento onde lhe é conferido um arrefecimento e diversos estágios de limpeza e secagem. Por fim poderá ser utilizado como sendo um combustível gasoso para um motor de combustão interna. A energia mecânica gerada por este motor aciona um gerador de corrente alternada produzindo energia eléctrica de consumo e energia térmica que é armazenada sob a forma de agua quente em depósitos próprios para o efeito.

Existe assim na Aberta Nova um sistema de gaseificação experimental. O primeiro protótipo inicio-se no ano 2011 criando-se posteriormente parcerias com universidades, entre elas a Universidade de Coimbra e um Instituto Politécnico Suíço, com o objetivo de optimizar o sistema. Neste momento existem na Herdade dois sistemas de gaseificação em fase de estudos e de demonstração:

  • Mini central de gaseificação- com uma potência elétrica de 15kWe e potência térmica de 60kWt-90º
  • Micro gaseificador- protótipo com uma potência de 5kWe.

Aquaponia

Na Herdade de Aberta Nova existe uma estufa experimental de Aquaponia, desde o ano 2012, onde cultivamos horto-fruticolas sobre a agua sem necessidade de químicos nem pesticidas, e que circulam num circuito fechado.

A Aquaponia é uma modalidade de cultivo de alimentos que envolve a integração entre a aquacultura (produção de organismos aquáticos) e a hidroponia (produção de plantas sem solo) em sistemas de re-circulação de água e nutrientes. A aquaponia, sendo uma modalidade de cultivo integrado, oferece uma série de mais-valias, onde uma cultura secundária aproveita os subprodutos de uma cultura primária para o seu benefício e em benefício do meio. Cada projeto tem as suas próprias características, contudo a técnica é estabelecida por um sistema de re-circulação de água: a água proveniente da produção animal tem de ser tratada pelo filtro biológico de forma a serem retirados os resíduos sólidos, posteriormente irriga as plantas e por fim retorna aos tanques.

Num sistema aquaponico o fornecimento de ração é essencial. Os peixes, ao alimentarem-se da ração, produzem excreções que posteriormente serão convertidas nos nutrientes que irão ser absorvidos pelas plantas. As bactérias nitrificantes são responsáveis pela conversão da amónia (NH3) em nitrito (NO2 - ) e este em nitrato (NO3 - ), desta forma as substâncias tóxicas que são produzidas pelos peixes são transformadas em nutrientes que são assimilados pelas plantas. O consumo dos nutrientes pelas plantas e a ação das bactérias, são processos fundamentais para a filtração da água, garantindo as condições apropriadas para o desenvolvimento normal dos peixes, e fechando assim o circulo entre os dois.

A intenção de Aberta Nova com este projeto de investigação é a descoberta de novas modalidades de cultivo, porque sabemos que é uma realidade hoje em dia, a existência de lugares onde a terra está contaminada, e de aqueles onde nem sequer terra há, como nos grandes núcleos urbanos. Tudo isto adicionado à multifuncionalidade e simbiose criada pelo próprio sistema, com perfeito na nossa filosofia.

Já criamos novas modalidades do sistema, com diferentes tamanhos, podendo este ser ajustado à realidade de cada lar, e assim ter sempre a possibilidade de alimentos frescos, caseiros e nutritivos à mesa.